22 de maio de 2008

Default

O Pedro lamentava-se ontem por não ser castanho como o melhor amigo. "Para ser bonito como o Márcio", dizia-me. "E quero o cabelo, também, castanho escuro e que não cresce". São os dois bonitos. Pequeninos, irrequietos e com os olhos grandes. Nisso até são parecidos. E as cores, expliquei-lhe, dependem das cores dos pais e não há forma de mudar. Ou razão para o fazer.

A minha avó atalhou uma explicação que lhe pareceu mais simples, mais adequada à idade: "O teu amigo é mais castanho porque vai muito à praia e passa muito tempo ao sol. Tens que apanhar sol para ficar mais como ele". Aquilo irritou-me. Percebo-lhe a intenção e sei que não há malícia. Mas o discurso encerra uma opção por defeito: ser claro. A pele escura é uma variante que se alcança se apanharmos sol. São estas subtilezas, estas simplificações infantis, que constroem o preconceito. Que pode não encerrar ódio, nem ser mal intencionado, mas que não deixa de ser um preconceito. Um pré-conceito, aliás, o verdadeiro sentido do termo. Uma pessoa, um ser-humano, tem a pele clara. Tudo o resto é construído sobre esta imagem. Como as bonecas de papel que se podem vestir com diferentas peças de roupa que recortamos. Ou colorir, se a quisermos de cor diferente do original.

Será um pré-conceito geográfico, talvez. Aceito isso e espero que os antípodas equilibrem as coisas. E que as avós do hemisfério Sul alvitrem a falta de sol, aos seus netos, como explicação para a pele leitosa dos que vivem por estas bandas. Mas dado o historial do mundo acho, o nosso, um pré-conceito perigoso. E espero que os meus filhos o adiquiram tão tarde quanto possível. A par da racionalização, da noção de geografia, de proporções, de culturas. Para que saibam que é assim aqui, mas que não é assim em todo o lado. E nisto estou contente com a escola que escolhi para eles. Ali não se insinuam defaults.

25 comentários:

Anónimo disse...

http://morbidopaulix.hi5.com/friend/photos/displayPhotoUser.do?photoId=1462949748&albumId=92110573&ownerId=130162246

Joana disse...

Continuo com a minha fé inabalada.

Anónimo disse...

Acho bem!
A sua fé e a minha.
E a vida destes meninos continua inabalada?

Joana disse...

A foto que me indicou não foi tirada na escola do meu filho. Não sei quem são, não sei nada sobre a sua vida, o que quer que lhe diga? A única coisa que posso saber, pelo título, é que provavelmente vivem na antiga Musgueira, como eu. E muito mais gente. Não é uma foto feliz, é certo. Mas não contraria em nada o objecto do meu post que é estar contente com a escola que escolhi (e reitero ESCOLHI) para o meu filho. Essa conheço em primeira mão e surpreende-me, muitas vezes, pela excelencia do seu projecto pedagógico. Não tenho razão de queixa. E recebo muitas vezes elogios aos recentes progressos e desembaraços do Pedro, tanto da família, como de outras pessoas. Acha que devia não o colocar lá porque tem Musgueira no nome?

Anónimo disse...

Joana concordo consigo.
No entanto, e depois de ver a fotografia considero que a fotografia não é infeliz é criminosa!

Verifiquei ainda que a mediateca organizou uma actividade de paintball. Uma das armas que estes "meninos" mostram é uma "arma" de paintball. Não acha tremendo que a mediateca promova estas actividades em vez de passeios a museus?

A outra arma como não sou perita de armas não consigo identificar!

Obviamente que não
foi tirada na escola do seu filho. Podemos ver na fotografia que foi tirada na sala de uma casa "bem" decorada.
Mas estes adolescentes pertencem ao bairro onde vivemos. Onde estão os adultos nesta casa? Onde estão os adultos na vida deles?
O que podemos fazer para os proteger deles mesmos?

Anónimo disse...

http://www.netvibes.com/serpentina#BLOG

Ana B. disse...

Joana, este post é uma delícia...

Não há por aí muitas "cabeças boas" como a tua... nem muitas que consigam expressar com tanta clareza e naturalidade duas verdades óbvias: a de que ninguém nasce com preconceitos e a de que, entre os mais novos, tudo é muito simples. Complicamos depois.

Eu também tenho horror a defaults e são passagens como esta que me encantam. Castanho escuro ou branco leitoso, o Pedro é muito bonito.

Quanto à fotografia, não é feliz. Nenhum dos adolescentes visados participou na actividade de paintball da Mediateca e posso dizer também que a iniciativa tem o propósito de trabalhar o espírito de equipa, o grupo, a entre-ajuda, as regras, a disciplina. O paintball é um jogo que apenas serve como estratégia. Tal como o serviço militar, não é necessariamente sinónimo de incentivo à agressividade e à violência. Antes pelo contrário.

A Mediateca também promove visitas a museus e muitas outras actividades culturais para os adolescentes e jovens do bairro. Diversificadas, para conseguir a sua adesão e conquistar o seu interesse. Só assim conseguirá criar relações, trabalhar competências e aproveitar isso para os poder proteger deles mesmos.

Mr. Steed disse...

"Verifiquei ainda que a mediateca organizou uma actividade de paintball. Uma das armas que estes "meninos" mostram é uma "arma" de paintball. Não acha tremendo que a mediateca promova estas actividades em vez de passeios a museus?"

Neste parágrafo coexistem duas técnicas interessantes:

Manipulação:
Retirar algo do contexto (o paintball) e adicionar uma informação falsa (a mediateca promove estas actividade em vez de passeios a museus).

Demagogia:
O paintball faz mal às crianças. As crianças que vivem num bairro violento estão a ser ensinadas a manipular armas.

a) O paintball, como já foi dito aqui, estimula o companheirismo e o trabalho em equipa, a colaboração. Por isso, muitas empresas usam o paintball como uma das actividades para estimular estas características nos seus colaboradores. Tal como outros desportos de grande intensidade física (como por exemplo o râguebi) são excelentes e evitam que as crianças se transformem em pequenas peças de porcelana que há que proteger a todo o custo.

b) Já que estamos numa de demagogia, vamos usá-la de outro modo: o mui respeitado Colégio Militar não será também uma instituição que influência as crianças ao obrigá-las a uma disciplina marcial. Não marcham os meninos da Luz com armas ao ombro em vez de andarem a visitar museus?

Deixo aqui uma sugestão positiva: Dê um pulo ao Centro Social da Musgueira. Poderá ver com os seus olhos e tirar as suas conclusões. Pode ser que mude de ideias e pode ser que não. Mas ficará certamente mais bem informada.

E apesar do tom deste comentário, fique certa de que tenho o maior respeito por si e pelas suas ideias.

Anónimo disse...

mr steed e ana b. conhecem os meninos da fotografia?

Anónimo disse...

e estes jovens partciparam?
http://morbidopaulix.hi5.com/friend/photos/displayPhotoUser.do?photoId=1462949741&ownerId=130162246&albumId=92110573

Mr. Steed disse...

não percebo a insistência em enviar estes links do hi5 aqui e no viver. o rapaz deve estar muito vaidoso por receber tantas visitas.

se o objectivo é dizer que o CSM faz um mau trabalho, é inútil ou devia ser encerrado e demolido para dar lugar a um Holmes Place seria mais eficaz e leal dizê-lo directamente ou não?

não percebo também a relevância de conhecer ou não esta malta. isso muda alguma coisa?

defendo que actividades como o paintball são salutares.

pena é não haver um clube de râguebi. é excelente para exercitar o espírito de equipa e em diversos países tem resultados fantásticos em meios pobres ou com problemas sociais. mas claro que você iria julgar q aquilo era um bando de gandulos a lutar e que o CSM e a Mediateca estavam a incitar à violência :)

Anónimo disse...

Talvez!

O rapaz pode estar orgulhoso!
A Mediateca pode ser e deve ser competente.
A resposta à pergunta que fiz à Mediateca se conhecia os jovens ou não, não existe.

Que o tema deste post era diferente é verdade.
Que a diversidade é uma maravilha, também.

Anónimo disse...

A professora brisa-do-mar conhece os alunos.

Anónimo disse...

pronto nao resisto
ao que e que o Mr Steed chama
a um
grupo de jovens
de um bairro
armado
e com o companheirismo estimulado, o trabalho em equipa trabalhado e com espirito de colaboracao.

Eu ca chamo gang
e o mr?

Com certeza o CSM e uma instituicao optima que faz um trabalho fantastico.
Mas por favor nao vamos tapar o sol com a peneira e trabalhar as areas que estes meninos precisam
Paintball podem fazer quando trabalharem numa empresa e pagarem impostos!
ana

Mr. Steed disse...

ok...que estão armados é uma afirmação duvidosa. aquilo a que chamamos de armas de paintball na realidade não são armas, aquilo dispara umas bolinhas de tinta. Sujam e pouco mais.

A outra pistola, como já escrevi antes, pode ser muita coisa.

Portanto, arrumado que está o argumento de que eles estão armados restam os outros:

"o companheirismo estimulado, o trabalho em equipa trabalhado e com espirito de colaboracao"

num gang não existe nada disto. existe um chefe que manda e dá porrada a quem não obedece.

não existe espírito de equipa, existem conceitos distorcidos de honra e a obrigação de defesa do gang, transmitidos por via do medo e potenciados pelo instinto de sobrevivência.


também podemos ir por outro lado e afirmar que:

se não devemos estimular o espírito de equipa a colaboração e o companheirismo nos jovens de bairros problemáticos porque eles podem usar essas competências para formar gangs então devemos fazer o quê?

potenciar o individualismo? ensinar que não devem trabalhar em equipa? metê-los a trabalhar no duro para aprenderem o que custa a vida?

só pode jogar paintball quem trabalha e paga impostos?

Anónimo disse...

Eu prefiro viver com os pes na terra, mas o Mr. tem liberdade de escolha. Vivemos ainda numa aparente democracia.

Estou a preparar-me para os moradores da Alta darem numa de camionistas.
vamos a ver!

Anónimo disse...

Que confusão aqui nos comentários...

Bom, anyway! Mto fixe a clareza de espírito do teu miudo! :D

Bjkas,
Nocas

Anónimo disse...

http://abrupto.blogspot.com/2008/06/os-custos-da-fraqueza-histria-universal.html

Anónimo disse...

http://online.wsj.com/article/SB121305349075558959.html

Mr. Steed disse...

O PREC e uma guerra civil são a mesma coisa?

O Pacheco Pereira anda a dormir pouco, só pode. Não acredito que ele não saiba a diferença porque os exemplos abundam: Estados Unidos 1861-1865; Espanha 1936-1939; Grécia 1946-1949;Moçambique 1975-1992.

Infelizmente, os exemplos são muitos.

Anónimo disse...

Porque o conhecimento e o melhor remedio para a ignorancia!

http://timeout.sapo.pt/news.asp?id_news=1744

bernard n. shull disse...

hi mate, this is the canadin pharmacy you asked me about: the link

qrestina disse...

Acertou na mouche... :)

Anónimo disse...

olá mãe do pedro e do luis é a teresa da creche do pedro gostei mto de os encontrar por aqui espero que esteja tudo bem um beijo grande ao pedro

boas férias !

Teresa dias.

Anónimo disse...

Este anónimo obcecado com os miudos exibicionistas é completamente idiota. Mas pela maneira como escreve não admira que pense assim.